Consultoria aponta as profissões mais demandadas em 2017

As perspectivas para o mercado de trabalho continuam ruins em 2017. Especialistas em RH acreditam que o ano continuará desafiador e que a taxa de desemprego permaneça alta.

De setembro a novembro de 2016, a taxa de desocupação chegou a 11,9%, a mais elevada desde o início da série, em 2012, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Mais de 12,1 milhões de pessoas estavam desempregadas no período, um aumento de 33,1% em relação ao mesmo trimestre de 2015.

Mas, para algumas profissões, o mercado continua contratando. De acordo com a Robert Half, consultoria de recrutamento especializado, algumas posições estão com alta demanda em 2017. "Apesar das aparentes incertezas, as contratações continuarão, ainda que em ritmo mais moderado e seletivo, com as companhias buscando cada vez mais profissionais com alta capacidade de entrega", acrescentou.

A lista destes profissionais foi baseada na 9ª edição do Guia Salarial da empresa, que reúne informações estratégicas de áreas como engenharia, finanças e contabilidade, vendas e marketing, jurídico, mercado financeiro, recursos humanos, seguros e tecnologia.

Veja abaixo quais as profissões que estão com alta demanda:

Engenheiro de Vendas Técnicas

Formação: Engenharias

Estes profissionais são responsáveis por potencializar as receitas das empresas por meio de vendas consultivas. Eles estão sendo demandados porque as empresas precisam de profissionais que entendam o produto/serviço e que entreguem soluções customizadas ao cliente, agregando valor e aumentando as vendas.

Gerente de Vendas

Formação: Administração, Ciências Contábeis, Economia ou Engenharias

O profissional é encarregado pelas vendas e por aumentar o faturamento, garantindo a lucratividade necessária para a empresa. Em mais um ano de crise, eles são ainda mais necessários, tendo em vista a sustentabilidade do negócio.

Consultor Comercial

Formação: não exige formação específica

Este profissional atua na área comercial das empresas de maneira mais abrangente e generalista, sendo, muitas vezes, alocado por regiões. Segundo a consultoria, eles são demandados porque "promovem a aproximação da empresa com novos clientes e expandem a marca no mercado, garantindo a continuidade dos negócios."

Analista de BI (Business Intelligence)

Formação: áreas de Tecnologia da Informação, Engenharias, Física, Estatística

Por serem responsáveis pela inteligência e estratégia da empresa por meio de análise de dados, esses profissionais estão com alta demanda. "Com a evolução do mundo digital as empresas coletam cada vez mais dados. Este profissional é responsável por interpretá-los, transformando-os em ações para a empresa."

Desenvolvedor Mobile

Formação: Tecnologia da Informação

Cargos de desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis também estão sendo em alta já que, cada vez mais, empresas investem na criação e melhoria de plataformas digitais. Além disso, existem poucos profissionais com experiência nesse mercado -- o que os tornam ainda mais valiosos.

Desenvolvedor UX

Formação: áreas de Tecnologia

Outros profissionais bastante procurados são aqueles que desenvolvem interface com o usuário. A consultoria avalia que a profissão está em alta porque muitas empresas estão interessadas em melhorar seus resultados de vendas e aumentar a retenção dos clientes.

Analista de Crédito

Formação: Administração, Economia e Engenharias

Os profissionais responsáveis por análise de balanço e a “saúde” financeira da empresa que deseja contrair crédito também estão em alta. "O mercado sinaliza a retomada das atividades comerciais e as empresas sentem necessidade de aumentar o seu fluxo de caixa", disse a consultoria.

Analista de Compliance

Formação: Economia, Administração e Engenharias

Eles são responsáveis por validar se todas as operações da companhia estão sendo realizadas de acordo leis e regulamentos externos e internos e estão em alta demanda porque houve um aumento das regulamentações e normativas estabelecidas por órgãos reguladores nos últimos anos.

 

Fonte: Brasil Post

    Você sabia que o OqueRola está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.