Pizza com borda de coxinha: bóra somar as coisas gostosas?

Impossível não ficar seduzido com a imagem que bombou na internet essa semana: uma pizza com a borda recheada de C-O-X-I-N-H-A.

Sim, pizza com coxinha. Por que diabos não pensei nisso antes?

Um cara como eu que é gordo, de espírito gordo, orgulhoso de gostar de coisa gorda e sem maiores dramas com isso, sinto a boca salivar ao escrever esse texto. Sendo o pano de fundo da memória aquela foto fantástica, só tenho vontade de lascar uma generosa dentada naquela iguaria. Sentir os lábios engordurados e sedentos por mais. Ok, vou parar com o exercício imaginativo por aqui.

Que me perdoe a geração fitness de hashtag #focoforçaefé com #deusnocomando, mas excesso de calorias é fundamental para a alegria da vida.

Evidente que os mais puritanos da gastronomia deram pitis histéricos nas redes sociais. Não sou do time xiita. Muito pelo contrário. Eu me permito.

Quando recebi pela primeira vez a foto da coxizza (sim, esse é o nome do prato) em um grupo de WhatsApp, já percebi que tinha ouro em mãos. E a única pergunta que se passava em minha cabeça: onde posso experimentar essa invenção dos deuses?

Tenho predileção por essas misturas. Meu cunhado tem uma tese que faz algum sentido. Ele diz que sempre quando pegamos uma coisa gostosa e somamos a outra coisa gostosa, o resultado será uma coisa mais gostosa ainda.

Não compactuo inteiramente com a tese. Existem misturas de coisas gostosas que não resultam necessariamente em algo mais apetitoso.

Picanha com leite condensado, calabresa com goiabada, sorvete com pastelão, brigadeiro com feijoada. Vamos ficar em poucos exemplos para comprovar que a tese dele não é 100% confiável.

Mas vale ressaltar que essas combinações só dão errado se você não tiver fumado nada, é claro. Em momentos enfumaçados, o paladar permite extravagâncias que não podem ser levadas em consideração.

Voltando à teoria de meu cunhado, somar coisas gostosas, em regra geral, proporcionam resultados positivos. Por isso que cozinha tem que ser lugar de experimentação, de ousadia. O universo dos sabores não tem limites para você ficar pagando de zé regrinha.

Viva a coxizza!

E alguém sabe onde é que está vendendo esse prato aqui em Goiânia?

    Você sabia que o OqueRola está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.