Toda tatuagem é ridícula (mas umas são mais que outras)

Caro deputado Wladimir Costa, estou em um momento de vida em que me esforço para ser alguém melhor. Talvez sejam as quatro décadas pelo planeta se aproximando e a inevitabilidade da morte que se aproxima a cada respirada. Talvez seja somente para me proporcionar algum alento, já que estou distante das religiões e dos assuntos divinos. Ser humano miserável como sou, não está fácil.

Tento trabalhar a empatia, olhar o mundo sob a perspectiva do outro. Compreender as diferentes motivações, perceber que o que move cada um é muito particular. Egoísta que sou, a tarefa é hercúlea.

Mesmo com todo meu engajamento (palavrinha da moda) em levar adiante uma compreensão maior do interesse alheio, não entra na minha cabeça o quão ridículo é a tatuagem que o nobre parlamentar ousou mandar no ombro.

Tenho autoridade para lidar com esses assuntos. Ambos. Ridículo e tatuagem são coisas das quais, modéstia às favas, entendo bastante. Minha carne é prova disso.

Toda tatuagem tem um tantão de ridículo, senhor Costa. Afinal de contas, qual é o sentido de eternizar algo, qualquer coisa que seja, na própria pele? Uma cicatriz que é feita pela vida, por algum acidente, vá lá. O acaso está aí para nos marcar mesmo. Agora, pagar caro, sentir um absurdo de dor e ainda sair de lá com uma marca indelével na pele? Para mim, é prova cabal de estupidez. E temos cada vez mais estúpidos no mundo. Rol no qual me enquadro, com algum tipo de orgulho masoquista.

Mas tudo na vida pode piorar. E seu exemplo, caro parlamentar do querido estado do Pará, demonstra o que digo. Desembolsar uma boa quantia (no seu caso, conforme divulgou, R$ 1,2 mil – pouco para sua renda de parlamentar, muito para a média salarial brasileira) para algo tão pateticamente ridículo é o fim da picada.

Ridículo e, deixe-me lhe bater uma real ao pé do ouvido, malfeito pra cacete. Até parece tatuagem de presidiário feita com tinta de caneta Bic. Mas isso é só minha opinião. Por favor, não a considere para não abalar sua autoestima.

Profissionais do ramo afirmam que se trata de uma tatuagem de rena. Isso melhora a sua situação por um lado, mas piora muito por outro. O bom para você é que, depois de algumas escovadas, seu ombro estará como aquele que mamãe cuidou quando ainda era um fofo bebê. Ruim por que sua mentira já ganhou o Brasil. E não pega bem para deputado ter fama de mentiroso, não é mesmo? Ou estou com uma concepção equivocada acerca da fama que um deputado deve ostentar, caro Costa?

Com meu sincero cumprimento,

Pablo Kossa

    Você sabia que o OqueRola está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.