Aline Mil: Castrar pra quê?

Publicado em 19.05.2016


Alguns mitos e verdades sobre a cirurgia de castração

Em alguns ambientes falar de castração animal é quase uma ofensa. “Coitadinho”, dizem uns. “Não faço essa maldade com meu cachorro”, dizem outros. “O gato vai engordar e virar uma bola prostrada”, bradam revoltados!

Conversando com alguns veterinários nos últimos anos posso afirmar que os benefícios de uma castração – feita corretamente e por um profissional habilitado – são infinitamente maiores do que as temidas e supostas consequências que citei acima. Tanto para o animal quanto para você e, maior ainda, para a sociedade. A verdade é que parte importante da guarda responsável de um animal é mantê-lo seguro, saudável e castrado.

O primeiro argumento que vou usar para tentar te convencer é a saúde do animal. Sim, castrá-lo ajuda a prevenir doenças e também acidentes. O animal castrado corre menos risco de desenvolver tumores, por exemplo. Sem falar que o cio é um stress enorme para o bichinho com graves consequências, incluindo a fuga e possíveis atropelamentos.gatos na caixaO segundo benefício é a melhoria no comportamento do animal. Quem nunca teve a perna “gentilmente” atacada por um cachorro? Ou não conseguiu dormir porque a gatinha do vizinho miou a noite toda? Se para suas visitas essas situações são constrangedoras, para o animal mais ainda. Como eu disse, é um stress e stress gera problemas. Castrar o quanto antes ajuda a eliminar o famoso xixi pela casa (para demarcar território), a salvar os móveis roídos e, inclusive, diminuir bastante a possibilidade de fuga. “Mas e o lance do aumento no peso e na preguiça?” Facilmente controlados com alimentação correta e exercícios. O resultado da castração é um animal mais tranquilo, menos estressado e afoito.

O último argumento é muito simples. Já temos uma superpopulação de animais domésticos abandonados pelas ruas. “Ah, mas eu queria tanto filhotinhos!” Filhotes são incríveis, eu sei. Mas há vários nascendo por aí, por que você não adota um? “Mas quero meus netos!” Ok. E o que você vai fazer com essa ninhada de 4, 5 ou 8 bichinhos que vão nascer? Doar? Vender? Então você vai vender seus netos? Ok. E se não conseguir, os bichinhos ficam com você? Você tem espaço e dinheiro para cuidar dessa prole? Ou vai mandar todos para a fazenda do seu tio lá em Rio Verde? Vai abandoná-los? Doar pra qualquer um? Pense bem.

“Tá, Aline, beleza. Mas castrar é caro e eu não tenho esse dinheiro!” Realmente, castrar não é barato. Afinal, é uma cirurgia, exige anestesia, ambiente seguro, um bom profissional. Mas esse valor varia bastante dependendo do porte, da idade e se estamos falando de um macho ou de uma fêmea. A partir de 2 meses o animal já pode ser castrado e, no caso das fêmeas, de preferência antes do primeiro cio. Com um pouco de planejamento tudo se resolve, basta querer. Afinal, o que é mais barato? Castrar um animal ou lidar com uma ninhada de 5 filhotes? Castrar ou trocar os móveis da casa que foram mordidos e urinados? Castrar ou lidar com a fuga do bichinho, que pode ser atropelado ou nunca mais voltar? Tudo isso deve entrar na conta.

Vale pesquisar (parcelar!) e também se informar sobre programas de castração solidária. E, por que não, cobre do poder público iniciativas de castração segura e gratuita. Já existem projetos de unidades de castração móvel de grande sucesso em algumas cidades e também de hospitais veterinários públicos. Cobre de seu vereador e prefeito!

Para complementar o texto, trago abaixo um vídeo do veterinário Wilson Grassi respondendo mais questionamentos sobre a castração:

*Tem alguma sugestão de tema para a coluna? Alguma dúvida? Deixe um comentário ou envie um e-mail para [email protected]

Posts Relacionados

Aline Mil

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Já trabalhou em impresso, rádio, tv, mas gosta mesmo é de internet. Apaixonada por animais, é voluntária no Projeto Viva Gato em Goiânia - textos novos todas as quintas

Últimos posts por Aline Mil (exibir todos)



    COMENTÁRIOS