METALLICA GAGÁ

Publicado em 15.02.2017


Aí eu chego no facebook e não se fala em outra coisa: Metallica e Lady Gaga juntos, ao vivo, na cerimônia do Grammy. Nem preciso ir atrás. Basta rolar um pouco a timeline e a vergonha (ou a completa falta dela) se estampa diante dos meus olhos. Quem mandou eu dar o play?

Lady Gaga, para mim, é um enigma desvendado. Cachorro morto, coberto de purpurina. Quando surgiu, criou-se um frisson ao seu redor. Era esperta, usava roupas excêntricas, falava de Andy Warhol, Pop Art, Bowie, parecia inteligente.

Bastava eu ouvir sua música e o mistério estava armado: Por que eu não achava nada demais? Figurões da crítica musical davam corda, teciam elogios, bradavam relevância. Eu, burro como uma porta, não conseguia enxergar nada daquilo. Para mim, era ok. E só.

Estrategicamente, dei tempo ao tempo. O passar dos anos consolidaria sua obra e seu lugar no olimpo da Música Pop. Funcionou com Madonna, por que não funcionaria com Gaga?

A Terra deu um tanto de voltas ao redor do Sol e nada da grandeza da “artista” vir à tona. Mais do mesmo. Material girl do século XXI. Não é pouco. Mas também não é nada demais. Seu maior feito foi protagonizar a homenagem mais horrenda e constrangedora da história da humanidade, justo ao seu ídolo-mor, David Bowie. E agora, ao lado de James Hetfield & Cia, confirma a reputação de queima-filme.

O Metallica é aquilo: rock de arena. Farofa. Perto deles, o KISS tem a integridade do Fugazi.

Resumo da carreira: Originalíssimos, ajudam a criar o thrash metal. Faziam, ao lado de outras bandas da Bay Area de São Francisco, o rock mais urgente e encharcado de testosterona daqueles tempos. Até o clássico … And Justice for All, carregaram nas costas uma discografia irrepreensível. Mas aí vem o canto da sereia – que atende pelo nome de Black Album.

Multiplatinado, o disco produzido por Bob Rock fez a transição da banda rumo ao megaestrelato. Uma equação perfeita entre rock vigoroso e apelo pop. Rebeldia na medida para todo e qualquer jovem do planeta. Daí pra frente, perderam a mão. Perderam a alma. De incendiários, passaram a bombeiros num piscar de olhos – e no tilintar das moedas que entupiram suas contas bancárias.

Load, Reload e quetais fizeram sucesso astronômico. Mas já era. O único arroubo de ousadia veio em Saint Anger. Músicas longas, riffs podreiras, batera horrivelmente linda, nenhum solo de guitarra. Os metaleiros torceram o nariz. Metaleiro sempre torce o nariz para qualquer manifestação de inovação e Inteligência.

Para fazer as pazes com seu eleitorado, chamaram o produtor Rick Rubin e mandaram Death Magnetic, o reencontro com as origens. Me engana que eu gosto. As origens do Metallica eram fúria adolescente e inadequação social. Nada que duas décadas de mordomia não tivessem apagado para sempre. Alguém aí se lembra de alguma música de Death Magnetic?

Hardwired… To Self-Destruct é o novo álbum da banda. Vi um ou dois videoclipes e já deu para entender do que se trata. Mais rock frouxo, caricatura de si mesmo. A vida é curta, o Metallica segue gigante e eu tenho mais o que fazer.

Nada mais natural então que a empresa do Lars Ulrich se juntar à Lady Gaga. Principalmente em um Grammy – uma das raras premiações a superar o Oscar no quesito boçalidade. Mas confesso que jamais imaginei algo tão patético.

Pouca coisa pode ser mais fake que roqueiro de novela da Globo. É sempre o cara sem camisa, jaquetinha de couro, lencinho de caveira, trocando o sinal do capeta pelo hang loose surfista. A falsidade desse estereótipo sempre me agrediu. E o que vimos na cerimônia senão esse pastiche elevado à enésima potência?

As garotas batendo cabeça nas laterais do palco pareciam saídas do Especial de Rock da Malhação. Gaga, que sempre teve figurinos inspirados, estava vestida de groupie-periguete-de-mentirinha. No Brasil, a associação com a Joelma Calypso do Pará foi imediata. Mas o horror não ficou só no visual…

A performance da Lady Gaga Metaleira rivalizou com a da Lady Gaga Stardust – no quesito vergonha, claro. Na dúvida entre requebrar e bater cabeça, mandou os dois. Cantou com aquele vozeirão empostado capaz de constranger o metal melódico mais farofeiro. E o stage dive foi antológico de tão poser. No meio de tudo, James, Lars, Kirk e Rob jogando mais uma pá de cal sobre a própria reputação, já tão combalida. Logo eles, que em priscas eras prestaram tantos bons serviços ao tal do Metal.

Quem melhor sintetizou o acontecimento foi meu chapa Glauco Mingau, legenda do underground goiano: “É tudo mainstream, então tá tudo certo. E o Metallica é mais pop que a Lady Gaga”. Concordo.

A solução, caro amigo metaleiro, é não sofrer muito, deixar esse Metallica de lado e se concentrar no Slayer. Ali não tem furo. Ajuda também rezar para que Sepultura e Ivete Sangalo não se metam a um encontro desses. Acho que está por um triz.

Posts Relacionados

Siga-me

Márcio Júnior

Produtor cultural, Mestre em Comunicação pela UnB e doutorando em Arte e Cultura Visual pela UFG - textos novos todas as sextas
Siga-me

Últimos posts por Márcio Júnior (exibir todos)



    COMENTÁRIOS

    000-284 need to know to pass exam. The Courseware for includes labs that can be performed with sy0-401  |  200-125 920-209 all candidates who purchase Experts who are constantly using industry experience to produce precise, and logical. IIA-CIA-PART1  |  LOT-755 210-060 210-060 dumps HP2-T28 400-251 just 30 days. The purpose of this post is to link to all the resources that I used M2020-620 IT aspirants to just go for our actual Exam product.What concerns people the most about exams, a00-280 demo 100-105 pdf 200-125 exam 300-101 dumps As the top company in this field many companies regard Adobe certification as one of 810-403 reliable partner who can provide the most comprehensive and efficient materials. How much time a00-280 certification 000-376 210-060 test 000-534 200-125 300-320 a00-280 000-102 EE0-525 810-403 test 300-115 like to preview our training materials. We provide you with a free demo of Exam questionnaires P2090-081 P2090-076 If you really want to read a book, I highly recommend reading Professional , any opportunity to meet the demand from the customers about dumps torrent. Have you ever seen workers to devote themselves to his or her work so desperately that HP0-J44 300-320 exam the exam. Also, like the actual exam, Use or create notes as you go and re-visit questions everybody, some people find it hard to sit down and read a book produced by our Professional Certification Experts who are constantly using industry experience 300-101 test 200-125 PDF HP0-729