Vou viajar. E o que faço com meu gato?

Publicado em 05.08.2016


Costumo dizer que trabalho para poder viajar, afinal é o que mais gosto de fazer. Mas tendo quatro gatos em casa, rolam algumas preocupações sobre os cuidados com os bichanos enquanto eu estiver longe. Diferente dos cachorros, os gatos podem sim ficar algum tempo sozinhos em casa, mas isso não quer dizer que eles não fiquem deprimidos. Por isso separei algumas dicas preciosas para ajudar quem vai passar uns dias fora, não pode levar o animalzinho junto e não quer que ele sofra.

Muita gente acredita naquela velha máxima de que “gato gosta da casa, não do dono”. Depois de alguns anos de experiência no assunto, te garanto, a história não é bem assim. A verdade é que gatos são avessos às mudanças bruscas. E, sim, eles se apegam bastante aos donos e também ao lar.

Portanto a primeira e principal dica que tenho para dar é tentar não mudar a rotina do animal. Isso significa não mudar a alimentação do bichano próximo à viagem, evitar fazer reformas ou mudar as coisas de lugar e, principalmente, tentar conseguir um cuidador para seu pequeno amigo enquanto você estiver fora.

Chame o irmão, o amigo, o vizinho ou até mesmo um(a) catsitter profissional para ir até a sua casa uma vez ao dia alimentar e brincar com seu gato enquanto você estiver fora. Assim ele vai ficar mais tranquilo e menos inseguro. Em Goiânia já temos algumas opções legais e pessoas de confiança que fazem esse serviço. Já contratei uma vez e foi sucesso!

 

unnamed

No dia da viagem, procuro agir normalmente. Nada de fazer um drama, dar petiscos especiais para o gatinho ou ficar grudado no bicho durante horas para “compensar” o tempo que você vai passar longe. Evite despedidas longas e dramáticas. Parece bobagem, mas esse tipo de atitude antes de viajar ou até mesmo no dia a dia, quando você sai de casa, pode aumentar a ansiedade do animal e a sensação de abandono. Para evitar que ele se deprima, faça um carinho rápido e tchau!

Por fim e não menos importante, deixe o ambiente seguro para o animal. Janelas teladas, registros de água bem fechados, botijão de gás com o regulador fechado, equipamentos fora da tomada. Sabe aquele vaso grande de porcelana que fica em cima da mesa? Às vezes é melhor guardar. Lembre-se: gatos são curiosos e adoram explorar a casa. Pequenos cuidados podem evitar acidentes enquanto ele estiver sozinho.

Ao retornar, fique mais atento ao comportamento do gato. Xixi fora da caixa de areia e dificuldade para urinar podem ser sinal de uma infecção, muito comum em gatos que estejam ansiosos. Se ele estiver se lambendo em excesso ou não estiver comendo normalmente, o melhor é fazer uma visita ao veterinário! Assim você tira suas dúvidas, pode viajar mais tranquilo e garante que seu animalzinho não prolongue a chamada “ansiedade de separação”.

 

 

Posts Relacionados

Aline Mil

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Já trabalhou em impresso, rádio, tv, mas gosta mesmo é de internet. Apaixonada por animais, é voluntária no Projeto Viva Gato em Goiânia - textos novos todas as quintas

Últimos posts por Aline Mil (exibir todos)



    COMENTÁRIOS